Carboidratos, gorduras, insulina, aumento de peso….

Limitar o consumo de gorduras, fazer mais exercícios ou comer menos do que se gasta não funciona porque nenhum filho(a) de Deus consegue comer pouco, sentir fome e fazer exercícios, tudo ao mesmo tempo por muito tempo … (a não ser que alguém acredite no milagre de emagrecer em uma semana porque daí o sofrimento passa rápido….)

Mesmo nas intervenções mais sérias como o uso de medicação e a cirurgia bariátrica, não há garantia de manutenção do peso perdido, uma vez que, se a pessoa mantiver os hábitos anteriores ao uso do remédio ou da cirurgia provavelmente voltará a engordar.

Para que nossas células recebam a energia da glicose, é necessário a presença de insulina.

Uma das principais funções da insulina no organismo é regular os níveis de glicose no seu sangue. Quando os níveis de glicose sobem além do aceitável, seu organismo precisa se livrar de todos os jeitos desse excesso. Isso significa que, se os níveis de glicose subirem exageradamente, assim também ocorrerá com a insulina.

A insulina, por sua vez, armazena a gordura nas células adiposas e o corpo passa a utilizar a glicose como fonte principal de energia, ACUMULANDO gordura!

E o que faz com que os níveis de glicose subam rapidamente? a ingestão de açúcares e carboidratos.

Observação: Açúcares também são carboidratos por isto, quando eu disser “carboidratos” entendam, “açúcar e outros tipos de carboidratos”.

Outro ponto importante é que a insulina faz com que seus rins retenham mais sódio e água. Sabe aquela sensação de inchaço, aquele líquido retido no seu organismo? Baixe o consumo de carboidratos e em uma semana ou duas você irá observar que seu corpo liberou todo o excesso de água!

E quais são as fontes mais comuns de carboidratos e açúcares?

Carboidratos

Além destes, sucos e refrigerantes são fontes INACREDITÁVEIS de açúcares.

Pode parecer exagero, a princípio, mas é uma dica valiosa: fique de olho bem aberto ao consumir produtos industrializados. A esmagadora maioria desses produtos, inclusive lights (para compensar a retirada da gordura, que fornece sabor ao alimento) contém alguma forma de açúcar que podem ter variados nomes como maltitol, maltodextrina, xarope de milho, xarope de glicose, frutose e por aí vai. Se você examinar rótulo por rótulo do que tem em casa e somar ao açúcar de mesa, à bolacha, ao macarrão, às batatas, ao pão que consome todos os dias verá o quanto estamos cercados por açúcar!

Ao ingerir carboidratos simples, o organismo rapidamente os transformará em glicose e aumentando repentinamente os níveis de energia. A insulina corre para fazer seu papel diminuindo a glicose no sangue e então surge aquela fome de leão pedindo por mais carboidratos para renovar esse estoque de energia.

É um ciclo vicioso! Quanto mais carboidratos ingerimos, mais fome e vontade de consumi-los teremos porque além disso, a “área da recompensa” do nosso cérebro é ativada quando ingerimos carboidratos tanto quanto como se estivéssemos nos drogando ou usando nicotina.

A excelente notícia é que todo esse processo é perfeitamente controlado pela baixa ingestão de carboidratos.

Então quer dizer que nunca mais vou comer carboidratos e vou engordar se comê-los?

Não!

Você terá que diminuir a quantidade de carboidratos que ingere e quando consumi-los, escolher os carboidratos de qualidade.

Após um certo período, você vai se acostumar tanto que esta forma de alimentação vai passar a ser natural e se tornará um estilo de vida.

Quando você atingir seu objetivo de emagrecimento ou recuperação de saúde, nada te impede de aumentar sua ingestão de carboidratos e ir observando até que ponto seu organismo aceita bem sem aumentar seu peso.

Se tiverem dúvidas ou sugestões deixem nos comentários!