DIABETES GESTACIONAL

O diabetes gestacional é uma situação em que o aumento do açúcar no sangue (glicemia) aparece ou é diagnosticado pela primeira vez na gravidez, podendo persistir ou não após o parto. Ocorre em aproximadamente 7% das gestantes.

O diabetes gestacional pode ocorrer em qualquer mulher. Não é comum a presença de sintomas. Por isso, recomenda-se que todas as gestantes pesquisem, a partir da 24ª semana (início do 6º mês) de gravidez, como está a glicose em jejum e, mais importante ainda, a glicemia após estímulo da ingestão de glicose, o chamado teste oral de tolerância a glicose .O diagnóstico é feito caso a glicose no sangue venha com valores iguais ou maiores a 92 mg/dl no jejum ou 180 mg/dl e 153 mg/dl .respectivamente 1 hora e 2 horas após a ingestão do açúcar.

Os principais fatores que aumentam o risco para desenvolvimento de diabetes na gestação são: história prévia de diabetes gestacional, sobrepeso materno e/ou ganho de peso excessivo na gestação atual, intolerância a glicose antes da gestação, história de recém-nascido com mais de 4 Kg em gestações prévias, aumento do volume do líquido amniótico, antecedente de óbito perinatal, uso de corticoide, presença de hipertensão arterial, idade acima de 25 anos.

O controle adequado da glicemia na gestação é importante para que se evite complicações tanto na mãe como no feto. Sabe-se que o diabetes gestacional aumenta em 17 a 65% o risco da mãe desenvolver diabetes em 10 anos após o parto. Dentre as complicações presentes em filhos de mães com diabetes gestacional, o aumento do peso do feto é a manifestação mais característica. O excesso de peso fetal pode causar dificuldades na hora do parto bem como predispor a traumas obstétricos. Outra complicação preocupante é a queda nos níveis de glicose (hipoglicemia) nestes bebês logo após o parto, o que pode prolongar a internação hospitalar. Além disso, indivíduos expostos a diabetes materno intra-útero têm aumento do risco de obesidade e aumento da glicose na infância e início da vida adulta.

Aquelas gestantes que não chegam a um controle adequado com dieta e atividade física tem indicação de associar uso de insulinoterapia. O uso da insulina é seguro durante a gestação e o objetivo da terapêutica é a normalização da glicose materna, ou seja, manter níveis antes das refeições menores que 95 mg/dl e 1 hora após as refeições menores que 140 mg/dl. É importante destacar que a maioria das gestações complicadas pelo diabetes, quando tratada de maneira adequada, irá ter um excelente desfecho e os bebês nascerão saudáveis.

Após 6 semanas do parto (momento que o estado metabólico volta ao prévio a gestação) as gestantes que tiveram o diagnostico de diabetes gestacional devem realizar um teste de tolerância oral a glicose 75g e repetir anualmente, pelo risco elevado de se tornar diabéticas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s