7 (sete) estratégias para controlar a vontade de doces e carboidratos!

Quem não quer engordar, perder sua saúde bem antes dos 90 ou ter uma aparência mais velha do que a própria idade, precisa se manter longe do açúcar e diminuir consideravelmente o consumo de carboidratos, principalmente os simples.

No entanto, a maioria das pessoas tem bastante dificuldade para diminuir o consumo destes alimentos e declaram abertamente seu amor por doces e massas.

Existem alguns motivos pelos quais as pessoas enfrentam tamanha dificuldade em abrir mão dos docinhos, dos pães e da macarronada do domingo.

Desde pequenas as crianças são condicionadas a ver o açúcar como um prêmio. Na melhor das intenções, a mãe chega em casa do trabalho trazendo um docinho para agradar ao filho e a avó enche os armários de guloseimas para os netos afinal, ela é a avó, né? Mas será que não seria mais legal assistir a um desenho juntinho delas ou leva-las para gastar energia em um parque?

Assim, é criado um vínculo muito forte entre doces e outras guloseimas e os sentimentos de bem-estar e conforto.

Quando chegam à idade adulta, buscam o açúcar como uma forma de aliviar o estresse. Quando uma pessoa sai cansada do trabalho, logo pensa em tomar uma cervejinha para relaxar. Se alguém briga com a vizinha, corre afogar as mágoas comendo um bombom! E por aí vai.

Mas, além disso, algumas pessoas podem estar literalmente viciadas no açúcar e no trigo.

Os cientistas da U.S. National Institute on Drug Abuse foram um dos primeiros a mostrar, através de escaneamento cerebral, que as alterações causadas pelo açúcar no cérebro são similares às alterações causadas por drogas como cocaína e álcool. Ou seja, é tão viciante como qualquer outra droga e, para alguns, pode não ser só uma questão de força de vontade deixar de consumi-lo.

Felizmente, existem alguns cuidados que estão ao alcance de qualquer mortal e que vão te ajudar a seguir uma dieta sem carboidrato simples e a viver a vida de uma forma mais leve em todos os sentidos!

Durma bem!

Dormir bem e dormir cedo é essencial para a produção de serotonina, responsável pela sensação de bem-estar, bom-humor, otimismo e motivação. E sabe o que acontece quando os níveis de serotonina caem? Imediatamente sentimos vontade de doces e carboidratos que elevam a serotonina.. Mas logo após consumirmos doces ou carboidratos, os níveis de serotonina voltam a ficar baixos e queremos carboidratos novamente!

Lide bem com as questões do dia-a-dia!

Quem já passou por um período de estresse maior sabe muito bem como, nessas fases, a vontade de doces e carboidratos aumenta. Existe uma relação entre o aumento do cortisol, hormônio ligado ao estresse, e o aumento não só da ingestão de alimentos doces mas também da quantidade consumida.

Coma frutas!

Tenha sempre frutas frescas à mão e habitue-se a come-las antes do doce.

Faça um diário! 

Você nem imagina como manter um diário alimentar ajuda a perceber coisas que, sem ele, você jamais saberia sobre você! Essa é uma ferramenta essencial e com apenas um mês fazendo anotações muito simples, você vai descobrir quais os alimentos que consome com mais frequência, quais podem desencadear a vontade de doces, os que afetam seu humor, sua fome ou seu intestino.

Limpe as gavetas e a dispensa!

Quando alguém pretende parar de comer doces e guloseimas parece uma boa idéia não tê-los por perto!

Mas por incrível que pareça, alguns continuam comprando e guardando na dispensa ou na gaveta todo tipo de alimentos pouco saudável e espera ter força de vontade suficiente para não ceder a tentação! Portanto, não leve para casa ou para o escritório nenhum alimento que você sabe que não vai resistir. Simples e efetivo!

Faça pequenas mudanças na rotina!

Por um período, até que você se sinta no controle das suas vontades, evite ir a lugares como padarias ou docerias. Sabe aquele doce gostoso que tem no restaurante que você almoça todos os dias e que você não resiste? Mude de restaurante por um tempo.

Você costuma visitar sua tia que sempre tem um bolo com café para oferecer? onvide-a para ir à sua ou a algum lugar seguro. Pequenas mudanças na rotina são super eficientes para livrar-se de hábitos ruins.

Faça atividades físicas!

Praticar exercícios estimula naturalmente a produção de hormônios que melhoram o humor como serotonina e dopamina. Muita gente não consegue manter a prática de exercícios porque não se dão a chance de experimentar e sair dos populares musculação/corrida/natação. Escolher alguma atividade que lhe dê prazer é essencial para a manutenção e a criação do hábito. Existem dezenas de possibilidades, nem só de academia vivemos!

Beijos.

Publicado por

Dra. Priscilla Machado Arruda

Priscilla Machado Arruda Médica | Endocrinologia | Nutrologia Medicina Preventiva e Integrativa. Qualidade de vida. 📪 pri_fmachado@yahoo.com.br I 👻 pricambs 🌍 Tianguá - CE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s