Diabéticos Tipo 2: chega ao Brasil o Primeiro Medicamento Semanal para o tratamento do diabetes

Trulicity (nome do novo medicamento) simplifica o tratamento da doença crônica que acomete 1 em cada 11 adultos em todo o mundo. Graças à sua eficácia no controle glicêmico e ação prolongada, a nova terapia injetável reduz de 365 para 52 o total de aplicações no ano.
A Eli Lilly do Brasil é líder global no segmento de diabetes, e traz para o Brasil Trulicity (dulaglutida), o primeiro medicamento injetável de uso semanal indicado para tratamento do diabetes tipo 2 do país. A nova terapia foi especialmente desenvolvida para simplificar o tratamento da doença crônica que acomete cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo. 

O preço máximo ao consumidor da caixa com duas canetas de Trulicity é de R$ 230 (duzentos e trinta reais). O valor sofre alteração de acordo com o local de comercialização em razão da incidência de imposto estadual (ICMS), mas esse é o preço máximo.

A dulaglutida é uma molécula inovadora, agonista do receptor de GLP-1, hormônio produzido naturalmente pelo organismo, responsável por estimular a secreção da insulina e inibir a liberação do glucagon.

Nos estudos clínicos, a dulaglutida demonstrou uma redução significativa da hemoglobina glicada (HbA1c) – exame que mede o nível médio de glicose no sangue durante dois ou três meses. 

“Trulicity oferece controle eficaz da hiperglicemia (nível elevado de açúcar no sangue) ao reduzir a quantidade de glicose em jejum, antes e depois das refeições. O medicamento estimula o organismo a liberar insulina na presença de altos níveis de glicose, diminuir a concentração de glucagon e atrasar o esvaziamento do estômago”, explica a Gerente Médica da Lilly no Brasil, Janaina de Lana.

O medicamento foi desenvolvido para ter ação prolongada, o que permite a aplicação apenas uma vez por semana, reduzindo a quantidade de injeções de 365 para apenas 52 ao ano. A melhora no controle da glicose começa após a administração da primeira dose e é mantida por uma semana, até a próxima aplicação.

Outra inovação do produto é a caneta aplicadora inteligente, que vem pronta para uso. Basta acioná-la com um clique para que o medicamento seja administrado por meio de uma agulha de pequeno calibre, que não fica visível, e conferir no dispositivo a confirmação da aplicação da dose. 

“No caso de doenças crônicas como o diabetes, a adesão ao tratamento representa um dos principais obstáculos para a obtenção de um bom controle. Cerca de 43% dos pacientes abandonam o tratamento nos primeiros 2 anos, assim, facilitar a adesão ao tratamento procurando oferecer medicamentos de posologia simples e adaptáveis à rotina do paciente é fundamental”, destaca o endocrinologista e Presidente da Comissão de Pesquisa da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Dr. Freddy Eliaschewitz.

 Características: 

– agulha de pequeno calibre e não visível que diminui o desconforto da aplicação;

– dose única, sem necessidade de ajuste;

– aplicação ultrarrápida: de 5 a 10 segundos;

– aplicação feita pelo acionamento de um botão em vez da perfuração da pele manualmente com uma agulha;

– mecanismo que permite confirmar a aplicação da dose.

A diminuição de apenas 1% na hemoglobina glicada dos pacientes com diabetes reduz em:

– 21% o número de mortes;

– 37% as complicações microvasculares como retinopatia ou nefropatia;

– 14% a ocorrência de doença cardiovascular;

– 43% as amputações e doenças vasculares;

– 12% a ocorrência de acidente vascular cerebral (AVC).

De acordo com a IDF1, somente em 2015, 130 mil brasileiros morreram em decorrência de complicações do diabetes. Atualmente, 12% do orçamento global para a saúde é gasto no controle do diabetes (USD 673 bilhões), sendo que, no Brasil, o montante soma US$ 22 bilhões. 

Indicações – Trulicity é indicado em monoterapia como um adjuvante à dieta e ao exercício para melhorar o controle da glicemia em adultos com diabetes tipo 2 quando a metformina está contraindicada ou é considerada inadequada por intolerância. O medicamento também é indicado em terapia de associação quando não há controle efetivo da glicemia.

Pode ser combinado com os seguintes redutores de glicose: metformina, metformina associada a sulfonilureia ou tiazolidinediona, e também à insulina prandial (na hora das refeições). Em ambos os casos, o paciente deve manter uma dieta adequada e praticar exercícios físicos.

Publicado por

Dra. Priscilla Machado Arruda

Priscilla Machado Arruda Médica | Endocrinologia | Nutrologia Medicina Preventiva e Integrativa. Qualidade de vida. 📪 pri_fmachado@yahoo.com.br I 👻 pricambs 🌍 Tianguá - CE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s