Margarina x Manteiga?

A indústria alimentícia apresenta inúmeras opções de margarinas “saudáveis”, feitas “especialmente”, entre outros argumentos,  para reduzir colesterol.

Mas vocês já devem ter consciência de que a margarina é uma gordura vegetal, enquanto a manteiga é um derivado do leite, portanto, uma gordura de origem animal.

A margarina foi criada no século XIX como um substituto mais barato (e mais saudável) que a manteiga. Quando surgiu, era uma mistura de sebo de vaca, leite desnatado, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de sódio.

Seu processo atual inclui o uso de solventes de petróleo (geralmente o hexano, bem barato), ácido fosfórico e soda, resultando numa substância marrom e malcheirosa, que sofre novo tratamento com ácidos clorídrico ou sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel, que deixa o produto parcialmente hidrogenado. Isso resulta em um produto com longo prazo de conservação, textura firme mesmo em temperatura ambiente, que não rancifica, não pega fungos nem é atacado por insetos ou roedores. Ou seja, é um não alimento.

O processo todo acaba por formar uma substância rica em um tipo particular de gordura chamado “trans”, insólita na natureza e de efeitos nocivos ao homem. Além disso, o principal predicado da margarina é ser rica em óleos poli-insaturados, que contribuem para um grande número de doenças.

A margarina pode estar relacionada a disfunções imunológicas, danos ao fígado, pulmão e órgãos reprodutivos, a distúrbios digestivos, diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento, problemas de peso, aumento no risco de câncer e, principalmente, a transtornos do metabolismo do colesterol, incremento de aterosclerose e doenças cardíacas.

Já a manteiga, vem do leite, que é batido até se transformar numa emulsão de água em gordura. A manteiga é composta por cerca de 80% de gordura, sendo o restante composto de água e resíduos de lactose, além de butirina, um tipo de gordura. Constitui-se como um alimento muito gordo, rico em gorduras saturadas, colesterol e calorias, pelo que é recomendável em doses moderadas para desportistas ou pessoas que tenham um grande consumo energético.

Entretanto, trata-se de um alimento naturalmente rico em ômega 6, um ácido graxo essencial para o bom funcionamento do organismo, combatendo o colesterol ruim e os altos níveis de glicose no sangue. Também auxilia na absorção de alguns nutrientes importantes, como as vitaminas A, B, E e K. Além disso, o organismo reconhece a gordura da manteiga como natural e consegue metabolizá-la, mas por ser um alimento extremamente gordo, é desaconselhável que o consumo seja excessivo por motivos óbvios.

Se me perguntarem qual das duas é “menos pior” vou dizer sem dúvida que é a manteiga.

Na natureza, não existem óleos que sejam parcial ou totalmente hidrogenados. Esse acréscimo de hidrogênio, que faz da margarina uma gordura trans, ocorre no processo de industrialização. Isso sem mencionar outra enorme quantidade de aditivos químicos diversos, como estabilizantes, aromatizantes, antioxidantes. Além disso, algumas podem conter o ácido butil hidroxitolueno, que é um elemento explosivo! Essa gordura hidrogenada desequilibra as prostaglandinas, substâncias responsáveis pelo equilíbrio orgânico em combate às inflamações.

A consequência disso são processos dolorosos oriundos de estados inflamatórios, como cólicas, enxaquecas, dores nas juntas e tantos outros. Existe também o risco de desenvolver resistência à insulina, elevando as chances de desenvolver diabetes.

É importante lembrar que a manteiga ghee seria a opção ideal, pois a água, os elementos sólidos, toxinas da gordura do leite e lactose são completamente removidos. Por conta do preparo, mesmo sendo a partir da manteiga tradicional, não contém sal, não contém lactose, não produz fumaça em temperaturas altas, e não necessita de refrigeração. É utilizada por adeptos da alimentação natural em diversas culturas e, além de características curativas e rejuvenescedoras, é a melhor opção para portadores de alergias graves a laticínios. Ela não deixa de ser um alimento rico em gordura. Contudo, quem faz questão do uso da manteiga pode encontrar na ghee uma opção muito mais pura e menos prejudicial à saúde.

Beijos.

Publicado por

Dra. Priscilla Machado Arruda

Priscilla Machado Arruda Médica | Endocrinologia | Nutrologia Medicina Preventiva e Integrativa. Qualidade de vida. 📪 pri_fmachado@yahoo.com.br I 👻 pricambs 🌍 Tianguá - CE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s